sexta-feira, 17 de junho de 2011

Seminário aborda criação de mais um Centro de Educação Profissional no Território do Sisal

As demandas crescentes por educação profissional no Campo estão motivando diferentes segmentos da sociedade a pleitearem, inclusive por meio do PPA Participativo, a expansão da oferta de vagas de cursos técnicos em diversos territórios, a exemplo do Território do Sisal. A questão será debatida no próximo dia 20, a partir das 8h, no Colégio Estadual Paulo Freire, Rodovia BA, nº 120, município de Santaluz, no Seminário de Implantação do Centro Estadual de Educação Profissional do Campo II. O CEEP do Campo I Milton Santos, funciona em Arataca, Território do Litoral Sul.

Diversos atores sociais reunidos durante seminário 
O seminário será promovido pela Secretaria da Educação do Estado, por meio da Superintendência da Educação Profissional (Suprof), em parceria com a Direc 12. Na oportunidade, será apresentada a proposta de criação do novo centro. O superintendente de Educação Profissional do Estado, Almerico Lima, falará sobre a concepção da Educação Profissional da Bahia e sobre experiências resultantes da implementação da Política Estadual de Educação Profissional no Estado. Fará uma avaliação quanto aos desafios e perspectivas para ampliação e aprimoramento desta política, em articulação com diferentes instâncias governamentais e não governamentais.

O seminário reunirá gestores públicos municipais, educadores, trabalhadores, empresários, organizações da sociedade civil e demais atores sociais, que atuam na educação profissional. Na programação, estão previstos trabalhos em grupo que irão abordar diferentes dimensões da Educação Profissional.

Quanto à dimensão socioambiental será discutida a qualidade de vida do campo (meio ambiente, saúde, segurança, educação, cultura, moradia). Na dimensão econômica e ambiental, será abordada a estrutura produtiva do campo (gestão e recursos naturais) e na dimensão socioeconômica, a relação campo e cidade e agricultura e indústria (produção alimentícia, mineração, produção industrial).  Os grupos também discutirão a dimensão controle social e pedagógica que envolve currículos / metodologias e a criação e funcionamento do conselho dos centros de EP.

Almerico Lima,superintendente da Educação Profissional


O superintendente Almerico Lima afirma que “a transformação do Colégio Estadual Paulo Freire em Centro faz justiça à equipe do colégio, que desde a sua criação, em 2008, atua na educação profissional voltada para as populações do campo. Além disso, atende à reivindicação dos movimentos sociais de ampliação da oferta de cursos técnicos de nível médio, inclusive na modalidade PROEJA médio e fundamental, para atendimento a estas populações. A perspectiva é que o CEEP do Campo Paulo Freire possa funcionar já no início do ano letivo de 2012.”

Educação Profissional no contraturno beneficia estudantes do ensino médio



Nascida e criada em meio à caatinga, Valdinete da Silva, presenciou a morte de muitos animais na pequena propriedade onde vive com o marido e o filho Tales. Não sabia o que fazer. A realidade tem mudado desde que a agricultora familiar, aluna do 3º ano do ensino médio do anexo do Colégio Estadual Santo Antônio das Queimadas, no distrito de Riacho da Onça, passou a fazer, no contraturno, o curso do arco ocupacional Agroextrativismo. “Estou tendo vitórias. Já consegui diminuir a taxa de mortalidade do meu rebanho de ouvinos cuidando dos recém-nascidos com fornecimento do colostro e a cura do umbigo”, festeja.

Valdinete, o esposo e o filho Tales: cuidados especiais com os animais
A ação é coordenada pelo Centro Estadual de Educação Profissional do Semiárido. A turma que Valdinete estuda no contraturno faz parte de uma experiência nova desenvolvida pela rede de Educação Profissional da Bahia que visa articular educação básica com a educação profissional, na perspectiva da educação integral. Isto significa ofertar qualificação social e profissional aos estudantes do terceiro ano que já cursaram parte significativa das disciplinas do ensino médio ampliando a carga horária dos mesmos no ambiente escolar, em turno oposto ao que estudam as disciplinas da base nacional comum.

O superintendente da Educação Profissional do Estado, Almerico Lima, explicou que desta forma, a rede de Educação Profissional oferece qualificação e orientação social e profissional aos jovens, promovendo a interação dos Centros de Educação Profissional com as Escolas de Educação Básica, sem dispersão de recursos, otimizando o uso dos laboratórios e equipamentos. “Esta é uma ação de Educação Profissional vinculada ao Pacto pela Educação, cujo Compromisso 3 é o de ampliar o acesso à Educação Integral e o Compromisso 10 visa garantir o desenvolvimento dos jovens para uma inserção cidadã na vida social e no mundo do trabalho. Se antes os jovens estavam sem perspectiva frente ao mundo do trabalho, apenas com a formação geral, passam a tê-la com a qualificação”, afirmou.

Procedimento para a cura do umbigo

Para Valdinete da Silva, a experiência tem sido muito significativa. Ela colhe na sua vida prática de agricultora familiar, os frutos dos conhecimentos e habilidades desenvolvidos em sala de aula com o curso de Agroextrativismo. “O curso está me proporcionando um leque de conhecimentos, espero que outras pessoas possam aprender também, pois hoje eu trabalho com frango de corte, ovino, vaca de leite e algumas cabras. Tales, meu filho, sempre fala pro pai que é preciso cortar o umbigo dos borreguinhos e que devemos cuidar dos animais com carinho para eles não ficarem estressados. Estamos confiantes de aumentar nosso lucro”, comemora.

A professora Marilice Andrade disse que o curso de qualificação profis
sional no contraturno amplia as possibilidades de os estudantes se beneficiarem com o desenvolvimento local. “Eles passam a ter uma visibilidade maior quanto às potencialidades regionais. Além disso, o curso permite que os estudantes desenvolvam técnicas e habilidades, que compreendem a implementação do manejo adequado e busquem a sustentabilidade ambiental no uso dos recursos da caatinga, bioma exclusivamente brasileiro”.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Estudantes da Educação Profissional resgatam tradições juninas

Bandeirolas, canjica, pamonha e arrasta-pé. Mais que símbolos da festa de São João, para estudantes da Educação Profissional, estes são apenas alguns dos pretextos para transformar o momento festivo em oportunidade de aprender. Vários centros estaduais, territoriais e unidades de ensino que ofertam Educação Profissional, foram transformados em um grande arraial.

A atividade pedagógica buscar resgatar a cultura nordestina, ao associar os conteúdos da matriz curricular com práticas culturais e recreativas. Contribui, assim, para a formação integral dos estudantes na medida em que envolve a arte, cultura e história.

No Centro Territorial de Educação Profissional do Oeste Baiano, em Barreiras, acontece amanhã, (dia 16), às 20h, o III Forró do CETEP. Os estudantes de Agropecuária, Informática e Enfermagem irão ministrar palestra sobre as tradições juninas. Depois, a festa continua. A quadrilha Raios de Sol será uma das atrações.

Sara Raissa, do Técnico em Informática contou como foi o envolvimento dela e dos colegas na atividade. “Por que esta festa acontece? Esse é o nosso grande questionamento, pesquisamos sobre isto e vamos contar a história do São João,” disse.



Também acontece amanhã (dia 16), no CETEP Sertão Produtivo, em Caetité, o Arraiá Profissioná. Será eleita a rainha do arraial e haverá concurso de quadrilha e de comidas típicas.

No CETEP da RMS, em Camaçari, acontece na próxima terça-feira (dia 21), às 16 h, o I Arraiá do CETEP. A animação fica por conta do forró pé de serra e quadrilhas.  Estudantes do CETEP de Itapetinga, nos dias 23 e 24 de junho, irão realizar a Caminhada Junina pelas ruas de Itororó. Em seguida, na praça principal, irão prestar serviços à sociedade. Os futuros técnicos em enfermagem, por exemplo, darão orientações sobre DST’s/Aids e sobre as consequências do uso abusivo do álcool.

A quadrilha rimada e o balaio junino não faltaram no CETEP Bacia do Jacuípe, em Ipirá. Na última sexta-feira (dia 10), os/as estudantes de Agropecuária, Comércio e Calçado promoveram uma quermesse, com direito a comidas típicas e muito forró.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Litoral Sul discute avanços e perspectiva da Educação Profissional no Território

A instalação do Porto Sul e da Ferrovia de Integração Oeste Leste são alguns dos grandes empreendimentos a impulsionarem, ainda mais, o desenvolvimento do Território Litoral Sul nos próximos anos. Duas das grandes demandas por qualificação e formação profissional que têm motivado representantes de instituições públicas, privadas, da sociedade civil e de movimentos sociais a pleitearem a expansão da oferta de vagas da Educação Profissional no território.

Reunidos no Colégio Estadual de Itabuna e no Centro Estadual de Educação Profissional em Logística, Transporte e Produção Industrial, em Ilhéus, diferentes atores sociais, inclusive, professores, estudantes, pais, mães, trabalhadores e trabalhadoras, debateram com o superintendente da Educação Profissional do Estado, Almerico Lima, os avanços e perspectivas da Educação Profissional no Território, abordando a necessidade de instalação de novos centros para a oferta exclusiva de cursos técnicos de nível médio em Itabuna e Ilhéus.

Nas duas cidades, unidades escolares já foram transformadas em centros. O antigo Colégio Polivalente de Itabuna foi transformado no Centro Estadual de Educação Profissional em Biotecnologia e Saúde e o Colégio Estadual de Ilhéus virou o Centro Estadual de Educação Profissional em Logística, Transporte e Produção Industrial.

A diretora da DIREC 07, em Itabuna, Miralva Moitinho, acredita que a instalação de mais um centro na cidade irá garantir aos jovens e trabalhadores do território, maiores oportunidades de inserção no mundo do trabalho. “Os jovens e trabalhadores precisam de qualificação profissional, o mundo do trabalho é muito exigente, precisamos atender as demandas, por isso a importância de ampliar a oferta de educação profissional no nosso Território”, explicou.

Joilson Sampaio, diretor do Centro Educacional Álvaro Melo Vieira, em Ilhéus, participou do debate. Para ele, a instalação de um novo centro fortalecerá ainda mais a rede de Educação Profissional. “Um centro de Educação Profissional é sempre uma referência e isso acaba facilitando parcerias para viabilizar contratos e inserir os jovens no mundo do trabalho”.

Para Ednei Mendonça, diretor da DIREC 06, em Ilhéus, o encontro com os diferentes atores sociais demonstrou além da capacidade de mobilização, a esperança de todos no sentido de se beneficiarem dos diversos investimentos no território. “Temos que estar preparados para receber o Porto Sul e outras demandas do mundo do trabalho. Mais um Centro de Educação Profissional em Ilhéus é necessário para preparamos e qualificarmos nossa população”, explicou.

Estudantes do Técnico em Dança realizam mostra itinerante

A Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia vai se transformar em um grande centro cultural e de artes nos próximos dias 16 e 17 de junho. Os 150 estudantes do curso técnico de nível médio em Dança irão realizar, a partir das 9h, uma mostra artística itinerante aberta ao público. A Escola de Dança é uma das unidades da Rede de Educação Profissional do Estado e recebe da Secretaria da Educação, por meio da Superintendência da Educação Profissional, apoio nas questões pedagógicas, institucionais e de infraestrutura.


Divulgação

A mostra é o resultado de várias disciplinas e marca o encerramento do semestre. Será itinerante porque todos os espaços da unidade serão utilizados. O visitante vai poder circular pela escola onde várias coisas vão acontecer ao mesmo tempo. Haverá, por exemplo, apresentações coreográficas de grupos e de solo e até intervenções com novas tecnologias, as chamadas instalações, ou seja, experimentação a partir de tecnologias e artes visuais com o corpo.


Divulgação

A diretora da Escola de Dança da Funceb, Beth Rangel, explica que ao concluírem o curso técnico em Dança, os estudantes podem exercer várias atribuições. Enquanto técnicos podem ser intérpretes, que são os dançarinos, criadores, ou seja, coreógrafos e multiplicadores que são os agentes de cultura. A professora diz que a mostra vem sendo realizada nos últimos cinco anos. Afirma que o evento se consolida cada vez mais, como um espaço para o exercício do fazer artístico e educativo, por meio de processos coletivos, por envolver estudantes e professores com a supervisão da coordenação do curso na proposição, criação e configurações de dança.

Divulgação

Para ela, a mostra é, sobretudo, uma oportunidade para que os jovens exercitem os conhecimentos e habilidades que adquiriram durante o curso. “Esta mostra propicia também a revelação de uma diversidade de potenciais e interesses, de jovens artistas, de modos de fazer e de entender dança que merecem ser socializados e reconhecidos como construções e conquistas pessoais e coletivas. Por isso, a escola vai estar com as portas e janelas abertas para receber a comunidade. Todos serão muito bem-vindos”, convida.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Fala Educação destaca Programa Brasil Sem Miséria e o Plano de Educação Profissional da Bahia

O Fala Educação, programa de rádio da Secretaria da Educação, desta semana, destaca as ações do Programa Brasil Sem Miséria que tem a meta de qualificar 1,7 milhão de pessoas. A iniciativa mobiliza esforços do governo Federal, estados e municípios no combate à pobreza extrema. Na Bahia, o Plano de Educação Profissional aparece como uma ferramenta estratégica a contribuir com essa política pública na medida em que a Educação Profissional é um dos destaques no conjunto de ações previstas no Brasil Sem Miséria.


O programa também apresentou, no quadro regional, ações pedagógicas desenvolvidas pelos estudantes do curso Técnico em Meio Ambiente, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

Ouça aqui

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Estudantes do Técnico em Guia de Turismo discutem Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Está preocupado com o futuro do meio ambiente e as consequências dos impactos ambientais? Esteja convidado a participar nesta quinta-feira (dia 09), da I Conferência sobre Meio Ambiente, Saúde e Desenvolvimento Sustentável, realizada pelos/as estudantes do curso técnico em Guia de Turismo, do Colégio Estadual Governador Lomanto Júnior, no bairro de Itapuã, em Salvador. A atividade é voltada à proteção da natureza e faz parte da comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no último domingo (dia 05), por toda rede de Educação Profissional. Trata-se de mais uma ação que expressa a concepção da educação integral dos jovens e trabalhadores/as e a intervenção social como princípio pedagógico.


A I Conferência tem o objetivo de mobilizar a comunidade escolar para refletir e discutir sobre os impactos ambientais gerados pelo estilo de vida da sociedade contemporânea e ressaltar a importância do turismo sustentável, que tem como princípio a preservação dos valores naturais e culturais de uma localidade, como estratégia de desenvolvimento local.

A comunidade estudantil e moradores do bairro de Itapuã estão envolvidos na organização do evento. Para isso, foi criada a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (COM-VIDA), que terá o objetivo de zelar, cotidianamente, pelas boas práticas pedagógicas de educação ambiental na unidade escolar. A comissão é composta por representantes do curso técnico em Guia de Turismo - Educação Profissional, da educação básica, professores, funcionários e moradores do bairro de Itapuã.

A programação é variada: envolve a discussão de práticas sustentáveis como plantio de árvores nativas, mutirão de limpeza, orientações de boas práticas ambientais, palestra sobre Saúde e Meio Ambiente e Práticas e saberes na perspectiva socioambiental e a pesquisa realizada pelos/as estudantes do curso técnico em Guia de Turismo: “Turismo e Meio Ambiente, uma relação possível”.

Antônia Reis, articuladora do curso, avalia a ação pedagógica fundamental para a mudança dos hábitos de consumo e adoção de um novo modelo de desenvolvimento socioambiental sustentável. “Como crescer culturalmente, socialmente, sem gerar tantos impactos ao nosso ambiente? Esta reflexão é que queremos provocar em nossos estudantes e nossa comunidade, apresentando alternativas para o turismo sustentável”, explicou.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Programa Brasil Sem Miséria beneficiará 1,7 milhão com Educação Profissional

A qualificação profissional com a formação de 1,7 milhão de pessoas é uma das metas do Plano Brasil Sem Miséria lançado no último dia 02, pela presidenta Dilma Rousseff, em Brasília. Este plano mobiliza esforços do governo Federal, estados e municípios no combate à pobreza extrema. Na Bahia, o Plano de Educação Profissional aparece como uma ferramenta estratégica a contribuir com essa política pública na medida em que a Educação Profissional é um dos destaques no conjunto de ações previstas no Brasil Sem Miséria.

O Plano de Educação Profissional da Bahia, lançado em 2008, tem possibilitado o acesso gratuito de milhares de jovens e trabalhadores/as, oriundos da escola pública, a cursos de qualificação profissional. Já são 48.818 matriculados em 72 cursos ofertados nos Centros Estaduais e Territoriais de Educação Profissional e unidades escolares da rede estadual de ensino. A oferta dos cursos técnicos abrange 105 municípios.

A proposta do Brasil Sem Miséria é beneficiar com qualificação profissional, jovens e trabalhadores/as de 18 a 65 anos, por meio de ações articuladas de governo: Sistema Público de Trabalho, Emprego e Renda; Programa Nacional de Acesso à Escola Técnica (Pronatec); Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem); obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Minha Casa, Minha Vida; Rede de Equipamentos de Alimentos e Nutrição; e coleta de materiais recicláveis.

Na Bahia, o Plano de Educação Profissional também prevê essa articulação entre o setor público e privado e está em sintonia com as demandas decorrentes do crescimento observado no estado. Isso significa que a implantação dos cursos atende às necessidades decorrentes do desenvolvimento dos Territórios de Identidade e cadeias produtivas locais, seja na área social, econômica e/ou ambiental.

O superintendente da Educação Profissional, Almerico Lima, disse que o Brasil Sem Miséria é um dos maiores e mais importantes programas sociais propostos no país. Segundo ele, ao reunir um conjunto de ações articuladas, dentre as quais a Educação Profissional, o Brasil Sem Miséria apresenta-se como um marco na construção de um Brasil melhor para todos. “Vivemos um momento único em termos de crescimento e para que a população se beneficie disso, é fundamental a qualificação profissional. O Brasil Sem Miséria compreende perfeitamente essa dimensão. Na Bahia, o esforço também é esse. Do mesmo modo que o Brasil Sem Miséria, no Plano de Educação Profissional da Bahia ela é vista como meio e não como fim. Além disso, é pensada para atender não apenas às demandas econômicas, mas também as sociais”.

Para o superintendente, “o nosso desafio agora está ampliado. Devemos investir ainda mais na Educação Profissional, articulando com ações de inclusão produtiva e de promoção do trabalho, emprego e renda, preparando nossos jovens e trabalhadores/as para que possam se beneficiar, pelo seu trabalho, das riquezas geradas no Brasil e na Bahia. Este é o caminho no combate à miséria”.

* Com informações do Portal Brasil


Acesse o Vídeo do Brasil Sem Miséria:

video

Acesse a Cartilha do Brasil Sem Miséria:

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Estudantes da Educação Profissional comemoram Dia Mundial do Meio Ambiente

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (dia 05), ações pedagógicas voltadas à proteção da natureza estão sendo realizadas durante toda a semana na Rede Estadual de Educação Profissional. Os estudantes do Técnico em Meio Ambiente, por exemplo, promovem práticas sustentáveis como plantio de árvores nativas, mutirões de limpeza, seminários e palestras sobre o tema. As ações são abertas a participação da comunidade.

No Centro Estadual de Educação Profissional das Águas (CEEP das Águas), em Barra, acontece desde o dia 31 e segue até hoje (dia 03), a I Semana do Meio Ambiente do Centro. A programação envolve palestras sobre temas como Biodiversidade da APA Dunas Veredas e a importância do Rio São Francisco para os ribeirinhos. Também contempla oficinas ambientais sobre questões como compostagem, lixo escolar e coleta seletiva, reflorestamento, energia e água. O encerramento será marcado por uma caminhada ecológica com plantio de mudas nativas, como umburana de cheiro, ipê e aroeira nas dependências do CEEP e na praça principal da cidade.

No CEEP do Campo Milton Santos acontece nos próximos dias 05 e 06, a I Semana do Meio Ambiente. Serão realizadas oficinas sobre coleta seletiva do lixo, reaproveitamento das garrafas pets na ornamentação, técnicas de compostagem para obtenção de adubo orgânico e sobre opções do trabalho com a argila. Áreas desmatadas ao redor do Centro serão recuperadas com o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica e de frutas tropicais que serão usadas na merenda escolar.

Já no CETEP de Itaparica, em Paulo Afonso, os/as estudantes irão realizar sábado (dia 04), um mutirão de limpeza no Bairro Prainha, recolhendo latas de alumínio, garrafas pets e papéis nas residências. Também irão prestar orientações aos moradores sobre as consequências de se jogar lixos em lugares inadequados.

Diferentes atividades são realizadas também nas unidades escolares que ofertam Educação Profissional. No Colégio Estadual Cidade de Camaçari, os futuros técnicos em Meio Ambiente apresentam nas dependências do colégio, o resultado do Projeto Comunidade Sustentável desenvolvido na segunda unidade. Dentre as atividades previstas na mostra estão: peças teatrais, exposições, coral, plantio de mudas e uma mostra de projetos voltados para a sustentabilidade da comunidade, abordando temas como educação ambiental, segurança no lar, sabão ecológico, energia alternativa, reaproveitamento de água, resíduos sólidos, artesanato e lixo eletrônico.

Márcia Ferraz, 37, estudante do CETEP de Itaparica está motivada com a escolha que fez para o seu futuro. “Sabemos que nossa qualidade de vida depende de atitudes conscientes. Hoje tenho mais consciência de quanto é importante colocar em prática o que aprendi em benefício da comunidade que moro”, explicou.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Educação Profissional prepara jovens e trabalhadores para atuação sustentável no mundo do trabalho

Na semana em que se comemora o Meio Ambiente, uma boa notícia: os estudantes da Educação Profissional estão sendo preparados para atuar de maneira sustentável no mundo do trabalho. Nos Centros Estaduais, Territoriais e unidades escolares que ofertam Educação Profissional, ações pedagógicas são realizadas, como parte da matriz curricular, na perspectiva de orientar os estudantes a terem uma postura de cuidado e proteção dos recursos naturais no exercício profissional, seja nos campos ou nas cidades. Neste contexto, a disciplina Saúde, Segurança e Meio Ambiente é obrigatória em todos os cursos técnicos de nível médio e a mesma abordagem está presente no PROEJA Fundamental.

As ações pedagógicas compreendem aulas teóricas focadas na responsabilidade de cada ser humano na proteção e conservação dos recursos naturais renováveis e não renováveis. Mas também aulas práticas que envolvem, por exemplo: plantio de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica, do Cerrado ou da Caatinga, restauração de mata ciliar, reciclagem de material de informática e coleta seletiva do lixo, combate ao desperdício, reaproveitamento de alimentos e até o controle de pragas e pesticidas no campo sem agrotóxico por meio de plantas e outros produtos orgânicos.

Todos os 72 cursos ofertados pela rede de Educação Profissional, onde estão matriculados 48.818 estudante, têm essa dimensão ambiental. O professor Almerico Lima, superintendente da Educação Profissional, explica que os cursos são ofertados levando em conta as demandas do desenvolvimento socioeconômico e ambiental dos Territórios de Identidade e isso foi determinante para a instalação de cursos como os Técnicos em: Meio Ambiente, Controle Ambiental, Biotecnologia, Ecoturismo, Petroquímica, Química, Agricultura, Agroecologia, Agronegócios, Agropecuária, Zootecnia, Pesca e Psicultura, Agrimensura, Cooperativismo, Agroindústria, Apicultura, Açúcar e Álcool, Alimentação, dentre outros.


O superintendente lembra que a Bahia vive um momento histórico de crescimento em diferentes setores e a formação e qualificação dos técnicos deve também ser voltada a minimizar os impactos causados pela ação do homem no meio ambiente. “As demandas ambientais são cada vez maiores. Tanto que só o curso Técnico em Meio Ambiente tem 1.805 estudantes matriculados em 12 dos 26 Territórios de Identidade. A Bahia é um dos estados com maior biodiversidade do Brasil. Diante do contexto de desenvolvimento socioeconômico e ambiental do Estado, devemos formar e qualificar profissionais conscientes de que são parte do meio ambiente e que cuidar dele é zelar pela nossa própria qualidade de vida e também das futuras gerações”, afirmou.

Exemplos de práticas sustentáveis

São vários os exemplos de práticas sustentáveis adotadas pelos estudantes da Educação Profissional. Os estudantes do Técnico em Meio Ambiente, do CETEP Alagoinhas/Litoral Norte, aproveitam espaços ociosos do centro para o plantio de culturas diversas como milho, abóbora, aipim e maracujá, para uso na merenda escolar. Também fazem a compostagem, ou seja, transformam material orgânico em composto para ser usado como adubo.


No CETEP da Chapada Diamantina, os estudantes do Técnico em Meio Ambiente desenvolvem experiências sobre uso racional da água e prestam orientação sobre este e outros temas à comunidade durante feiras e exposições realizadas no próprio centro. No CEEP em Logística e Transporte Luiz Pinto de Carvalho, em Salvador, estudantes ganharam prêmio na 5ª Olimpíada Brasileira de Meio Ambiente da Fiocruz, pela elaboração do Jornal A Voz de Gaia, abordando a degradação do Rio Camarajipe, no bairro Boa Vista do São Caetano.


As visitas de campo são também uma prática pedagógica dos cursos técnicos para contribuir com a formação cidadã dos estudantes. Depois de visita guiada à Embrapa Semiárido, a estudante do CETEP do Piemonte da Diamantina, em Capim Grosso, Dayane Brás, sentiu-se ainda mais motivada e consciente do seu futuro papel enquanto futura técnica em Agroecologia. “Esse tipo de atividade é muito importante, pois observando a grande diversidade da fauna e da flora da Caatinga, é que percebemos a necessidade de preservar e de atuar na educação ambiental para conservar as espécies que correm risco de extinção”.

Onde há oferta de Técnico em Meio Ambiente


O curso técnico em Meio Ambiente é ofertado nos seguintes Centros Estaduais de Educação Profissional: CEEP das Águas, em Barra, CEEP do Semiárido, em São Domigos, CEEP do Campo Milton Santos, em Arataca e no CEEP em Processos e Serviços Industriais Irmã Dulce, em Simões Filho. O curso também é ofertado nos Centros Territoriais de Educação Profissional: CETEP Itaparica, em Paulo Afonso, CETEP da Bacia do Rio Corrente, em Santa Maria da Vitória, CETEP Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte, CETEP Bacia do Paramirim, em Macaúba, CETEP Sertão do São Francisco, em Juazeiro e no CETEP Chapada Diamantina, em Wagner. O curso é ofertado, ainda, nas seguintes unidades escolares: Colégio Estadual João Cardoso dos Santos, em Valença, Colégio Polivalente Monsenhor Luiz Ferreira de Brito, em São Sebastião do Passe e no Colégio Estadual Cidade de Camaçari, em Camaçari.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Estudantes do CEEP em Biotecnologia e Saúde apresentam delícias da culinária brasileira no II Festival Gastronômico

Delícias que aguçam o paladar, iguarias da cozinha brasileira que fazem bem à saúde. Quem quiser fazer tais descobertas precisa se agendar, porque no próximo sábado (dia 04) será realizado o II Festival Gastronômico Sabores e Saberes, do Centro Estadual de Educação Profissional em Biotecnologia e Saúde(CEEP em Biotecnologia e Saúde), em Itabuna. O evento, que será realizado das 17h às 22h, no Grapiúna Esporte Clube, próximo à rodoviária, será aberto ao público que poderá provar alguns alimentos a serem comercializados no local.

Esta atividade é mais uma ação prevista nas matrizes curriculares dos cursos técnicos da Educação Profissional da Bahia, cuja proposta pedagógica tem o trabalho como princípio educativo, visando a formação integral dos sujeitos, ao articular conteúdos de educação básica e educação profissional. Neste caso, o Festival trabalha as dimensões históricas, espaciais, culturais e econômicas vinculados ao curso técnico de nutrição. Deste modo, os estudantes não apenas aprendem a “fazer”, mas compreendem a evolução e sentido deste “fazer”, sempre no interesse da sociedade.

Nesta edição, a feira pretende resgatar um pouco da história da gastronomia de oito estados brasileiros: Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, seja do ponto de vista cultural e socioeconômico, ou da importância da nutrição e dietética. Serão enfatizadas as técnicas adequadas para a preparação dos alimentos.

Vestidos a caráter para identificar os estados que representam, os/as estudantes irão preparar pratos finos. O júri terá missão de degustar e avaliar as delícias e os estudantes, levando em consideração critérios como: habilidades de organização, originalidade e técnicas de preparação dos alimentos. Farão parte da banca examinadora, representantes das Secretarias da Educação e Saúde do município, da Vigilância Sanitária, empresários do ramo alimentício e professores de nutrição.


A competição já começou nos bastidores. Os estudantes guardam segredo sobre o que estão preparando. Querem surpreender os jurados com muita técnica, cores e sabores.

Josonita Marinho, diretora do CEEP, explica que a atividade possibilitará aos/as estudantes refletirem, ainda mais, sobre técnicas adequadas para a preparação dos alimentos e quanto a importância dos mesmos para a saúde. “Iremos explicar a diferença entre gastronomia, nutrição e dietética, tanto do ponto dos benefícios à saúde quanto da construção da cultura gastronômica de um determinado local”.

Estudantes do CETEP da RMS apresentam experiências na I Feira de Ciência e Tecnologia

A I Feira de Ciências e Tecnologia: a pesquisa científica desenvolvendo conhecimento, realizada pelo Centro Territorial de Educação Profissional da Região Metropolitana de Salvador (CETEP da RMS), em Camaçari, mudou a rotina do centro nos últimos dias 28 e 29 de maio. Experiências até então desenvolvidas nos laboratórios de química, a exemplo da produção de sabão, foram apresentadas à sociedade, numa demonstração de como os futuros técnicos estão sendo preparados para adentrar no mundo do trabalho.

A proposta pedagógica dos cursos técnicos da Educação profissional da Bahia trabalha com a formação integral, articulando conteúdos de educação básica e educação profissional. Neste caso, a Feira trabalha as bases científicas da tecnologia. Deste modo, os estudantes não apenas aprendem a “fazer”, mas porque “fazer”. Com tais conhecimentos são capazes de compreender e atuar em situações distintas e não apenas seguir prescrições, superando o “adestramento” que sempre caracterizou a educação profissional tradicional.

Participaram da atividade, estudantes dos cursos em Eletromecânica, Controle Ambiental, Petroquímica, Química e Segurança do Trabalho. Divididos em grupos, expuseram em estandes, o passo a passo das etapas da reciclagem de papéis, o processamento das sementes para obtenção de biocombustível, as formas de obtenção de energia eletromagnética e os tipos de equipamentos de proteção individual utilizados na área de segurança. Também ministraram oficinas para os visitantes e à própria comunidade estudantil.

Como forma de interagir com outros estudantes da Rede Estadual de Educação Profissional, a I Feira Ciências e Tecnologia do CETEP da RMS contou com a participação de estudantes do curso técnico em Segurança do Trabalho, do Centro Estadual de Educação Profissional em Serviços e Processos Industriais Irmã Dulce, instalado em Simões Filho.

A diretora do CEEP da RMS, Nancy Bulcão, disse que a Feira de Ciência e Tecnologia foi uma ação pedagógica estratégica. Além de demonstrar à sociedade um pouco das atividades desenvolvidas pelos estudantes e promover a integração dos mesmos com diferentes atores sociais, a feira cumpre um papel importantíssimo no sentido de promover o amadurecimento dos futuros técnicos. “Tudo isso aqui é uma resposta à sociedade dos investimentos feitos pelo Estado na qualificação e formação profissional da nossa juventude que fica ainda mais motivada com esse tipo de experiência”, ressalta.

CETEP do Extremo Sul participa de campanha de combate à dengue

O combate ao mosquito transmissor da dengue é também uma responsabilidade da população. E foi justamente para chamar a atenção de todos quanto às medidas preventivas nesta luta contra o Aedes aegypti que os estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional do Extremo Sul, em Teixeira de Freitas, participaram de uma caminhada pelas principais ruas do município.

Conforme prevê a proposta pedagógica dos cursos técnicos de nível médio da Educação Profissional da Bahia, esse tipo de atividade contribui para desenvolver nos estudantes uma consciência cada vez maior de suas responsabilidades perante a sociedade, não só como futuros técnicos/as, como também enquanto cidadãos/ãs que contribuam para o bem-estar da coletividade. Este é princípio pedagógico da intervenção social.

Com faixas e cartazes, os/as estudantes, juntamente com outros atores sociais, a exemplo de agentes comunitários de saúde, procuraram orientar a todos quanto à necessidade da adoção de medidas simples, mas necessárias para evitar a proliferação do mosquito que pode levar uma pessoa à morte. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, na Bahia, 90% dos criadouros estão concentrados nos reservatórios de água ao nível do solo e em tanques elevados.

O CETEP do Extremo Sul tem 977 estudantes matriculados nos cursos técnicos em: Enfermagem, Controle Ambiental, Açúcar e Álcool, Manutenção e Suporte e em Informática.

Veja como você pode fazer a sua parte:

Mantenha os depósitos de água sempre fechados com tampa adequada

Lave toda semana com escova e sabão as caixas utilizadas para armazenar água
Jogue no lixo ou envie para a reciclagem todo material que pode acumular água
Guarde as garrafas com a cabeça para baixo
Não deixe acumular água da chuva na laje
Campanhas: Você pode orientar sua família e vizinhos a combater o mosquito

Onde são encontrados focos do mosquito transmissor da dengue?


Tonel, tanques, caixa d'água, calhas, casca de ovo, garrafas, vasilhames plásticos, fendas de rocha, buracos de árvores, casca de côco, vasos sanitário fora de uso, bromélias e todo e qualquer local que possa permanecer com água por mais de três dias.


Saiba mais sobre prevenção e controle da dengue
Acesse:
http://www.bahiacontraadengue.com.br