Menu

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Educação Profissional: Formação para o trabalho e para a vida

As novas diretrizes para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio estão sendo discutidas pelo MEC, por meio do Conselho Nacional de Educação, com a participação de professores, trabalhadores, estudantes e movimentos sociais. O superintendente da Educação Profissional da Bahia, Almerico Lima, faz parte do grupo de gestores e educadores envolvidos neste debate. Em entrevista à Revista Brasil, da Rede Brasil Atual, ele falou sobre o assunto, de como a Educação Profissional deve formar o/a cidadão/ã para o trabalho e para a vida. Veja abaixo reportagem.

Por Cida de Oliveira

A concepção de ensino técnico defendida por especialistas, educadores e movimentos sociais no Conselho Nacional de Educação sugere corrigir distorções dos objetivos e da organização desse segmento estratégico para o país

Uma das bandeiras dos candidatos à Presidência da República, a educação profissional – ou ensino técnico – estará no centro do debate neste mês de agosto. E não é só por causa da campanha eleitoral. Convidados pelo Ministério da Educação (MEC), especialistas e representantes dos professores, dos trabalhadores, dos estudantes e dos movimentos sociais se reuniram para discutir propostas pedagógicas para o setor. As ideias, se apoiadas em uma audiência pública do Conselho Nacional de Educação, prevista para este mês, poderão compor a resolução sobre as Diretrizes para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio.

“Esperamos a aprovação para que possamos, enfim, ter uma formação sólida para o mundo do trabalho, e não mais um modelo­ superficial, ditado pelas regras exclu­dentes do mercado”, afirma a professora Marise­ Ramos, pesquisadora da Faculdade­ de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e integrante da comissão formada pelo MEC.

O mercado, como ela salienta, não deve ser o objeto da formação, mas precisa se relacionar­ com a educação tecnológica numa perspectiva do desenvolvimento da capacidade produtiva do sujeito – o trabalhador. A educação voltada para atender só ao capital tem conteúdos organizados de maneira superficial, que podem mudar de acordo com o contexto socioeconômico. Já a formação que Marise e os setores progressistas defendem consistiria de uma sólida base científica e tecnológica que fundamentam os processos produtivos e permitem ao trabalhador compreender e assimilar revoluções e inovações que venham a ocorrer.

O educador Almerico Biondi, superintendente de Educação Profissional do governo da Bahia, diz que as diretrizes que ajudou a formular são norteadas pela vinculação entre a educação básica e a profissional e por princípios educativos que respaldem a formação sólida – aquela que desenvolve uma inteligência individual e social, além da profissional. Ou seja, para qualquer ramo de atividade técnica que venha a escolher, o indivíduo precisa ter acesso a um patrimônio pessoal de conhecimento.

“O desenvolvimento social, econômico e ambiental em curso no país exige a formação de técnicos que, mais do que apertar botões, compreendam os fundamentos científicos e tecnológicos do sistema produtivo onde atuam e também o contexto socioeco­nômico no qual estão inseridos”, sustenta Biondi. O documento, segundo ele, pela primeira vez coloca a formação profissional como direito e é também uma resposta ao atual modelo que, entre outras coisas, culpa o trabalhador pela falta de “capacitação”,­ por ser inexperiente, ou velho e ultrapassado ou até por morar longe do trabalho e representar mais tempo e custos com transporte.

“Temos de superar a ideologia que obriga os trabalhadores a se adaptar às incertezas de um mercado de trabalho baseado na pedagogia das competências, que preconiza o seu conformismo diante de uma realidade em que somente alguns são empregáveis”, completa Rosana Miyashiro, coordenadora pedagógica da Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha, em Florianópolis, ligada à CUT. Para ela, o cenário de crescimento econômico previsto para os próximos anos exigirá uma estratégia de desenvolvimento sustentável,­ pautada pela cidadania e pela inclusão. “E a educação profissional, ferramenta no processo de ampliação das capacidades do trabalhador, é fundamental”, diz.

Leia reportagem na íntegra:

Revista do Brasil

Novo Portal da Educação ultrapassa a marca de 1,3 milhão de visitantes

O Portal da Educação se consolida como uma ferramenta de comunicação e interação entre estudantes, professores, gestores da rede pública de ensino estadual, além de apresentar à sociedade notícias, ações e projetos voltados para a área educacional. Os números de acessos comprovam a receptividade que a ferramenta possui. Reformado pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, o novo portal está há quatro meses no ar e contabiliza mais de um milhão e trezentas mil visitas, com cerca de 18 mil acessos/dia.

O espaço virtual da Secretaria conta com apoio e participação efetiva dos servidores. "O portal é moderno, uma boa proposta de integração e um canal ativo de comunicação com a escola, com os gestores e com os próprios alunos. Ele explora as mídias como um todo e democratiza o acesso às informações da secretaria, com transparência. Acompanho as notícias e utilizo muito o Fale Conosco", considera Teresa Cristina Resende, diretora da escola Getúlio Vargas, localizada no Barbalho, em Salvador.

O Portal da Educação também é utilizado como fonte de informação sobre cursos e outras atividades voltadas para a capacitação de professores. "Acho a iniciativa muito interessante, bem informativa. Encontro notícias e informações sobre bons cursos. Já participei dos Jogos Estudantis, Capoeira e PSE (saúde)", afirma Mário Sérgio Pinheiro, professor de educação física da rede estadual.

Entre os destaques do portal, está o Ambiente Educacional Web, que possibilita que estudantes e professores tenham acesso a conteúdos digitais e ambientes virtuais de aprendizagem. O conteúdo educacional começou a ser publicado após a equipe da Secretaria vencer um edital do Ministério da Educação para a produção de conteúdos ligados à Física, em parceria com a equipe do professor Paulo Ramos, da Uneb. Hoje, o estudante dispõe de todo o conteúdo da disciplina em forma de softwares, programas de vídeo, áudio e jogos. As demais disciplinas também já fazem parte do ambiente educacional.

O estudante, que contribui ativamente com sugestões, também tem acesso ao chamado Professor Web. A ferramenta, a cada semana, oferece dicas e desvenda os mistérios da Física. Além disso, o internauta encontra informações específicas para professores, notícias variadas e acompanhamento de períodos para o estudante, como o processo de matrícula e sorteios eletrônicos. O endereço eletrônico também é uma porta de entrada para as redes sociais que a Secretaria utiliza, como Twitter e Orkut.

Pluralidade –

O Portal abrange um conteúdo educacional amplo e extrapola a esfera estadual, se consolidando como um difusor de conhecimentos variados sobre educação. No espaço virtual, estudantes e professores encontram informações sobre ações do Ministério da Educação e outros conteúdos que estão relacionados e que possam despertar interesse na área. A pluralidade de informações faz com que o tempo médio de visita seja de quatro minutos e quarenta e cinco segundos, considerado muito bom para a rede, com uma taxa de retorno de 44% em visitas. As cidades de Salvador, Feira de Santana, Caetité e Itabuna são as que mais acessam o Portal da Educação.

De acordo com o Coordenador de Modernização da Secretaria da Educação, Sérgio Miranda, a evolução do espaço virtual da Secretaria é notável. "Se compararmos com o nosso portal anterior, podemos dizer que foi feita uma revolução. Reflete muito da nova gestão da Secretaria, que dá uma atenção especial à escola. Além disso, a vida e a morte de um portal passa pela sua capacidade de atualização. E nós fazemos isso. Ele foi construído para atingir públicos diversos. E o crescimento no número de acessos comprova isso", considera.

Entre as próximas ações da equipe do Portal da Educação está a de criar uma grande rede de e-mails com professores e alunos, estreitando o processo de comunicação. "É importante ter esta relação direta, buscar alunos e professores como parceiros. Este é um grande projeto e tem uma importância fundamental para o nosso portal", afirma Sérgio Miranda.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Centros de Educação Profissional recebem laboratórios de enfermagem com equipamentos de última geração

Conciliar teoria e prática e se preparar para exercer da melhor maneira possível a futura profissão é uma realidade para estudantes do curso Técnico em Enfermagem de Centros Estaduais, Territoriais e unidades que ofertam Educação Profissional no Estado que estão recebendo modernos laboratórios de enfermagem. Os laboratórios possuem equipamentos de última geração do mesmo padrão utilizado em hospitais, considerados imprescindíveis para que os/as estudantes estejam qualificados para atender as demandas do ambiente de trabalho. Já foram investidos mais de R$ 400 mil com recursos do Tesouro Estadual.

Cada laboratório possui 60 itens. Dispõem, por exemplo, de diferentes tipos de móveis como cama e berço hospitalar, carro de curativo, vários tipos de mesas, como as específicas para exames ginecológicos, suportes para soro, cadeiras de uso hospitalar, armários e biombos. Contam ainda com equipamentos como: termômetros clínicos digitais, ambu de silicone para adulto, aspirador para secreção, estufa de esterilização e secagem, nebulizador para pequenas aplicações, cânula para traqueostomia, colar cervical, laringoscópio completo, modelo simulador de recém nascido, modelo pélvico do aparelho reprodutor feminino e diferentes tipos de manequim, como o manequim de intubação e de adulto para simulações de emergências cardiorespiratórias.

Na capital, foram beneficiadas com os laboratórios: o Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde Anísio Teixeira e os Colégios Estaduais Carlos Menezes de Santana e Presidente Costa e Silva. No interior, já foram contempladas com recursos para a aquisição de equipamentos a montagem dos laboratórios os Centros Territoriais de Educação Profissional (CETEP): CETEP do Médio Rio de Contas, em Ipiaú; CETEP da Chapada Diamantina, em Wagner; CETEP Sertão do São Francisco, em Juazeiro; CETEP Portal do Sertão, em Feira de Santana e o CETEP Oeste Baiano, em Barreiras e o Centro Estadual de Educação Profissional em Biotecnologia e Saúde, em Itabuna.

Também já possuem equipamentos de enfermagem os Colégios Estaduais: Antônio Conselheiro, em Uauá; João Durval Carneiro, em Guanambi; Tancredo Neves, em Senhor do Bonfim; Luiz Navarro de Brito, em Alagoinhas e o Colégio Estadual nossa Senhora das Graças, em Araci. Os demais centros e escolas que ofertam o curso de Enfermagem também devem receber laboratórios. Processo para a aquisição de mais 25 laboratórios está em andamento.

Elisete Thomaz Santos, 30 anos, estudante do CEEP em Biotecnologia e Saúde, em Itabuna, está no terceiro ano do Técnico em Enfermagem. Ela disse que as aulas práticas no laboratório de enfermagem contribuíram, e muito, para que ela tenha mais segurança nos procedimentos a realizar com os pacientes. “Aqui no laboratório a gente tem tudo que precisa. Aqui, observando, acompanhando com o professor, fazendo estudo de tudo, já tem uma noção de como acontece na realidade. No laboratório, a gente aprende a diferenciar as partes do corpo humano e tem a certeza de que quando estiver em um hospital, vai saber como agir, qual providência tomar diante das necessidades do paciente”, afirma.

CETEP Sertão do São Francisco na Fencapri

Estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional Sertão do São Francisco participaram, de 18 a 21 deste mês, da Feira de Negócios da Pecuária e da Caprinovinocultura do Vale do São Francisco (FENCAPRI), realizada no Campus da UNEB, em Juazeiro-BA. Foi montado um estande que funcionou como uma extensão das salas de aula. Os estudantes colocaram em prática conhecimentos adquiridos nos cursos técnicos de nível médio e prestaram serviços à comunidade.

Os/as estudantes do Técnico em Enfermagem prestaram informações sobre a saúde do homem, sexo seguro, alimentação saudável, aferiram pressão arterial, fizeram teste de glicemia e cálculo de massa corpórea.


Dentre outras coisas, também houve esclarecimento à sociedade sobre a Educação Profissional no território, os cursos oferecidos no CETEP e sobre o projeto de ampliação do centro com a exposição das plantas baixas dos módulos de laboratórios que já estão em construção apresentados. Foram instaladas, ainda, duas TVs pendrive e feitas apresentações institucional sobre CETEP Sertão do São Francisco destacando, inclusive, os projetos educativos desenvolvidos no CETEP. A exposição despertou o interesse das crianças.

Estudantes do Técnico em Informática participam de Olimpíada de Agoritmo

Estudantes do Curso Técnico em Informática do Colégio Rubem Nogueira, em Serrinha, participaram da 1ª Olimpíada de Agoritmo da turma. O objetivo do projeto é promover, estimular e incentivar o estudo do algoritmo e despertar jovens talentos para o ingresso nas áreas científicas e tecnológicas. O estudo do tema é essencial para o curso de Informática, pois é a base para o desenvolvimento do raciocínio lógico e do aprendizado da lógica de programação (construção de softwares).

Israel Oliveira da Silva foi o campeão. Franciney Silva Araújo ficou em segundo lugar e Graziele Mota da Silva, em terceiro. Concorrendo com 20 colegas, eles responderam questões sobre: variáveis e declaração de variáveis, comandos de atribuição, expressões aritméticas, operadores e precedência de operadores, expressões lógicas e comandos condicionais. Os vencedores foram premiados com pen drives.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

CETEP do Recôncavo sediará mostra itinerante de Ciências

O Centro Territorial de Educação Profissional do Recôncavo, em Santo Antônio de Jesus, sediará no próximo final de semana (dias 28 e 29 de agosto), uma mostra itinerante de Ciências. O CETEP vai receber o Caminhão com Ciências da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), localizada no Sul da Bahia. O caminhão é uma espécie de laboratório móvel, através do qual, é possível aproximar o grande público da universidade. A entrada é franca e a visitação ocorrerá das 9h às 12h e das 13h às 17h.

Participam da atividade, cerca 40 pessoas, entre estudantes, pesquisadores e professores, que vão orientar o público e mostrar experiências que geralmente só são retratadas nos livros de ciências. Dentre elas, o funcionamento de uma hidroelétrica, a obtenção de diversos tipos de energia, o ciclo da vida e o desenvolvimento de uma célula. No sábado à noite, será feita uma simulação de planetário onde os participantes terão acesso a equipamentos de visibilidade espacial.

Fonte: ASCOM/DIREC 4

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Educação Profissional voltada para o campo

A Educação Profissional na Bahia está contemplando, cada vez mais, o meio rural. É crescente a oferta de cursos técnicos de nível médio que visam proporcionar maior conhecimento, tecnologias e beneficiamento às mais diferentes atividades rurais e consequentemente melhores condições de desenvolvimento socioeconômico e qualidade de vida das populações do campo.

Em 2010 já são 8.859 estudantes do campo e das cidades matriculados em 16 cursos técnicos ofertados pela rede Estadual de Educação voltados ao meio rural. São eles: Agricultura, Agroecologia, Agronegócio, Agropecuária, Zootécnica, Pesca, Controle Ambiental, Meio Ambiente, Biotecnologia, Agrimensura, Cooperativismo, Ecoturismo, Agroindústria, Apicultura, Açúcar e Álcool e Biocombustíveis.

Ao todo, a rede Estadual de Educação já tem 40.100 matriculados e oferta 69 cursos técnicos de nível médio. Como os cursos de Educação Profissional têm o currículo orientado para o contexto territorial, muitas disciplinas envolvem situações do campo. O curso Técnico em Enfermagem, por exemplo, contempla estudos sobre doenças endêmicas no meio rural e o curso de Edificações aborda questões sobre edificação no meio rural. Em todos os cursos, o trabalho é um princípio educativo e nesse caso específico, são desenvolvidas atividades, desde o primeiro ano, que dizem respeito à realidade sociocultural das populações do campo.

A inclusão das populações do campo à Educação Profissional também é ampliada por meio da participação de representantes de sindicatos de trabalhadores rurais e de movimentos sociais do campo nos conselhos dos Centros Estaduais e Territoriais de Educação Profissional.

Escola de Dança comemora mês do Folclore

Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB, unidade da Secretaria de Cultura do estado (SecultBA) e uma das que ofertam Educação Profissional pela rede Estadual está desenvolvendo uma programação especial para comemorar o Dia do Folclore que transcorre no dia 22 de agosto. Os cursos preparatórios e técnicos de nível médio incluem na grade curricular, disciplinas como Danças Afro-brasileiras, Danças Populares e Capoeira e, neste contexto, a Escola de Dança da FUNCEB está promovendo oficinas, palestras e workshops para os/as estudantes incluindo também atividades abertas à participação do público.

Nesta quinta-feira (dia 19), será realizado um cortejo de confraternização com os/as estudantes, que sairá às 16 horas da sede, no Terreiro de Jesus, e seguirá até a Praça das Artes, onde acontecerão apresentações dos grupos de crianças envolvidas.

Para articular as práticas da cultura popular e contextualizar as atividades com a temática, a Escola de Dança fez uma parceria com o Colégio Estadual Renan Baleeiro, localizado em Águas Claras. O colégio executa atividades com o grupo folclórico infantil Zambiapunga, cujo nome vem de uma manifestação folclórica que ocorre no município de Nilo Peçanha. Trata-se de um cortejo de homens mascarados, trajados com roupas coloridas e feitas com retalhos de panos e papéis de seda, que saem às ruas durante a madrugada da véspera do Dia de Finados, dançando e acordando a população da cidade ao som de instrumentos de percussão, como tambores, cuícas e búzios gigantes.

Já no sábado (21 de agosto), às 15 horas, a Escola de Dança faz a Mostra Dia do Folclore, no Centro Cultural Plataforma, espaço também administrado pela FUNCEB. O propósito do evento é apresentar coreografias de estudantes dos cursos de Educação Profissional, Livre e de Extensão em Dança, buscando também uma aproximação da Escola com a comunidade de Plataforma.

A professora Beth Rangel, diretora da Escola de Dança, disse que há quatro anos, a unidade vem se adequando ao cumprimento da lei 10639/2003, que torna obrigatória a inclusão de História e Cultura Afro-brasileira nos currículos escolares. "Estamos desenvolvendo atividades que trabalhem estas questões, dando subsídios para os estudantes compreenderem a relação do folclore e da cultura popular com a linguagem da dança”, explica.

Jornada de formação docente discute Educação Profissional

A Educação Profissional foi um dos temas abordados na formação docente para os professores do pólo de Santo Antonio de Jesus, Dom Macedo, Varzedo e Conceição do Almeida. O encontro aconteceu no último dia 14, no auditório do Centro Territorial de Educação Profissional do Recôncavo, em Santo Antônio de Jesus e diversos representantes das 19 escolas que englobam o eixo participaram de mais uma etapa do projeto pedagógico.

Como ocorreu em outros eixos, foram oferecidas oficinas de trabalho abordando diferentes temas. Os professores se dividiram em sete oficinas durante todo o período da manhã tratando de assuntos como educação profissional, diversidade textual, o lúdico como instrumento pedagógico, integração entre disciplinas, desafios da educação de jovens e adultos e as diferentes linguagens como estímulo.

A professora Maria Eunice Santos da Cruz leciona no Colégio Estadual Mandinho Almeida em Conceição do Almeida, destaca a importância das reuniões avaliativas. “Uma recente avaliação feita no colégio mostrou que em media 75% dos professores já acreditam neste projeto e o número vem crescendo cada vez mais”, informou.

“O que a gente tem percebido é que o trabalho do professor em sala de aula está mais sistematizado e elaborado e isso tem trazido para o cotidiano da escola mais instrumentos para a reflexão do processo de ensino e aprendizagem”, diz Erivalto Ribeiro, gestor do CETEP do Recôncavo. Questões apontadas pelos professores no início do ano, estão sendo observadas e estimuladas como a participação mais atuante dos pais e dos próprios estudantes dentro do ambiente escolar, ressaltou o diretor.

Fonte: ASCOM/DIREC 4

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Interiorização da Educação Profissional na Bahia

Os/as jovens e trabalhadores/as baianos não precisam mais sair de seus locais de origem para fazer um curso técnico de nível médio de qualidade na capital ou em outra cidade e pagar por isso. O Estado está investindo de forma continua e sistemática na ampliação da oferta de vagas para as cidades do interior. Implantou os Centros Estaduais e Territoriais de Educação Profissional e ampliou a oferta de vagas em mais de 1.000%.

Conheça um pouco mais deste processo de interiorização com este ping pong. O entrevistado é o professor Almerico Lima, superintendente da Educação Profissional do Estado.

1 - Por que a interiorização da Educação Profissional?
Almerico – Porque a Educação Profissional está alinhada, totalmente, às ações direcionadas para o Desenvolvimento com Inclusão Social em todo o estado. Ao interiorizar a Educação Profissional, não esquecemos os grandes centros, mas garantimos que a oportunidade de conseguir uma profissão seja oferecida aos jovens de todo o estado. Deste modo, das 42 mil matrículas que são a meta de 2010, mais de 30 mil são para o interior do estado. Nesse primeiro semestre já temos 40.100 matriculados em cursos de Educação Profissional.

2 - Como ocorreu essa interiorização e qual a relação com os territórios de identidade?
Almerico - A interiorização não ocorreu por acaso. Seguiu a política de divisão territorial do estado e as demandas do PPA Participativo. Também levou em consideração questões logísticas (tamanho da unidade escolar, localização e porte do município, etc.). A expansão foi baseada na criação de Centros Territoriais de Educação Profissional, um para cada um dos 26 Territórios de identidade da Bahia. Foram realizados 12 seminários territoriais para discutir a implantação e os Centros estão instalando os seus Conselhos com a participação de prefeituras, trabalhadores, empresários e movimentos sociais, no qual a presença da Coordenação do Território de identidade é fundamental.

3 - Qual o benefício desta política pública para a juventude e os trabalhadores dos territórios?
Almerico - O objetivo é formar pessoas humanas, trabalhadores e sujeitos de direitos. Os jovens têm uma grande oportunidade de se prepararem para a vida e para o trabalho, simultaneamente. E mais, se preparam para trabalhar em seu município, em seu território, não precisando mais migrar em busca de oportunidades. O desenvolvimento socioeconômico e ambiental da Bahia, assim, beneficia baianos e baianas.

4 - Há uma preocupação de que os cursos preparem os estudantes para além do mercado de trabalho, explica um pouco isso?
Almerico
- Nossos cursos têm o trabalho como princípio educativo, ou seja, preparam para mais do que o assalariamento, mas para um a compreensão da ciência, da técnica e da sua implicação para a sociedade. Também preparam para a possibilidade do formando se tornar um empreendedor individual, ou com os colegas iniciar um empreendimento coletivo e solidário, sempre resguardando os seus direitos à seguridade social. Prepara inclusive para atuar na área pública e no 3º setor, ampliando, deste modo o leque de inserção produtiva, para além do emprego tradicional.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Estudantes do CEEP Semiárido reciclam peças de computadores

Sabe aquele computador que está abandonado, empoeirado, que você pensa que não serve mais para nada? Os estudantes do 2º ano do curso Técnico em Informática, do Centro Estadual de Educação Profissional do Semiárido (CEEP do Semiárido), em São Domingos, estão encontrando soluções tecnológicas para o reaproveitamento. Por meio de oficinas de metareciclagem, estão descobrindo que peças ultrapassadas podem ser reutilizadas de várias maneiras, seja na transformação em artigos de decoração e em brinquedos ou para a reposição em máquinas defeituosas.

Uma das experiências mais recentes dos/as estudantes foi a oficina de metareciclagem na Casa Brasil de Valente, uma iniciativa do Governo Federal que tem por finalidade promover inclusão digital, cidadania, cultura e lazer às comunidades de baixa renda. O objetivo da oficina, segundo o professor Toni Carvalho, foi possibilitar que os futuros técnicos aplicassem o aprendizado das salas de aulas de uma outra maneira: descobrindo novas possibilidades de reapropriação das tecnologias.

Durante a oficina, os estudantes participaram de uma palestra sobre o tema metareciclagem ministrada por técnicos do laboratório da Casa Brasil e depois trabalharam para exercitar e conhecer. Fizeram a análise das peças, sobre como poderiam ser reutilizadas, montaram e fizeram funcionar computadores que estavam quebrados. A estudante Sandy Érica dos Santos Silva, disse que a experiência é valiosa, “só tem acrescentar ao que já é aprendido na escola”.

O diretor do CEEP do Semiárido, Crispim Nelson dos Santos, destacou que esse tipo de atividade é fundamental por aliar teoria e prática. Além disso, o trabalho é princípio educativo para o Plano de Educação Profissional da Bahia. Ao mesmo tempo em que os/as estudantes estão sendo preparados para o mundo do trabalho, a participação em oficinas como a de metareciclagem possibilita que tenham a visão de mundo ampliada. Por exemplo, eles/as poderão desenvolver uma maior consciência ambiental quanto à destinação destas peças ao fazer reciclagem e a destinação correta dos resíduos sólidos, evitando assim, futuros dados à natureza.

Bahia participa de Colóquio sobre Educação Profissional e Inovação em Brasília

Quais são os rumos da Educação Profissional, técnica e tecnológica diante das perspectivas econômicas e sociais do país? Quais os desafios para a formação de trabalhadores para a sociedade do conhecimento e para a inovação? Estes são alguns dos questionamentos que gestores-educadores de todo o país irão tentar responder durante o Colóquio Educação Profissional e Inovação, nesta quinta-feira (dia 12), em Brasília. O evento será realizado pelo Observatório da Equidade do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Presidência da República. A Bahia estará representada pela Superintendência da Educação Profissional do Estado.

Almerico Lima, superintendente da Educação Profissional do Estado, explica que uma das ações do Conselho de Desenvolvimento Social e Econômico da Presidência da República é incluir a Educação Profissional no Plano de Desenvolvimento Social e Econômico do Brasil. “É a primeira vez que a Educação Profissional é vista como um valor estratégico e não uma educação de segunda classe. Quando a Educação Profissional entra Plano de Desenvolvimento Social e Econômico do Brasil, é parte constituinte das ações de desenvolvimento do país. A Bahia se antecipou a isso, ao adotar a integração Trabalho, Educação e Desenvolvimento, como diretriz da Educação Profissonal no Estado”, avalia.

Esse processo de incluir a Educação Profissional no Plano de Desenvolvimento Social e Econômico do Brasil, traz implicações muito positivas para a Bahia, segundo Lima. Primeiro porque há um esforço em consolidar, cada vez mais, a Educação Profissional na Bahia, possibilitando qualificação e formação profissional para os jovens e trabalhadores. Depois porque a oferta de vagas e de cursos está alinhada com as demandas, cada vez maiores do mundo do trabalho, decorrentes dos investimentos feitos e do desenvolvimento socioeconômico e ambiental alcançado na Bahia. “Isso quer dizer que quanto mais oportunidades forem criadas para que os jovens tenham uma profissão, mais chances terão de serem beneficiados com o crescimento e o desenvolvimento da Bahia que avança em alinhamento com o desenvolvimento do Brasil”.

Para o superintendente, as discussões do Colóquio Educação Profissional e Inovação contribuirão para com o fortalecimento da política pública de Educação Profissional da Bahia. “Vai ser uma troca de experiências muito valiosa sobre temas que estão na nossa pauta como as Políticas e Sistemas de Formação para a inovação e Desafios para a formação de trabalhadores para a inovação”, assegurou.

Programação
A abertura do Colóquio Educação Profissional e Inovação será feita pelos conselheiros Clemente Ganz Lúcio, Antoninho Trevisan e pelo Secretário-Executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antonio Elias. A primeira Mesa do evento debaterá as “Políticas e sistemas de formação para a inovação” e contará com as presenças de Ronaldo Mota (Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCT), Eliezer Moreira Pacheco (Secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC) e Alberto Borges de Araújo (Assessor da Direção Geral do SENAI - Departamento Nacional).

Na parte da tarde, o tema será “Desafios para a formação de trabalhadores para a inovação” e conta com os seguintes palestrantes: Dora Montenegro (Diretora de Projetos e Ações Sociais do Instituto Internacional de Neurociências de Natal); Jacques Marcovitch (Câmara Americana de Comércio - AMCHAM); Tatiana Deane Abreu de Sá (Diretora-Executiva da EMBRAPA); Eduardo Leão (Diretor-Executivo da ÚNICA) e Elio Neves (Presidente da FERAESP).

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo site http://www.cdes.gov.br e as inscrições podem ser feitas pelo email cdes@planalto.gov.br

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Cursos de mestrado e doutorado da Uneb oferecem 62 vagas

O Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) abre este mês as inscrições para seleção de aluno regular 2011 dos cursos de mestrado e doutorado. Entre os dias 9 e 27 acontecem as inscrições para 42 vagas disponíveis para o mestrado. Do dia 27 até 10 de setembro serão realizadas inscrições para 20 vagas do doutorado.

Os interessados devem apresentar ficha de inscrição, comprovante de pagamento da taxa de R$ 100 (mestrado) ou R$ 150 (doutorado) e demais documentos exigidos no edital na secretaria do programa, que fica no Campus I, em Salvador, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Há ainda a opção de enviar os documentos autenticados pelos Correios (via Sedex). A partir de segunda-feira (9), o site do PPGEduC vai disponibilizar ficha de inscrição eletrônica. A seleção para os cursos consiste em prova temática e de língua estrangeira, análise de currículo lattes, anteprojeto e memorial, além de entrevista.

Fonte: Site Agecom

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Inscrições para Prêmio Técnico Empreendedor 2010 até 31 de agosto

Estão abertas até o próximo dia 31, as inscrições para o Prêmio Técnico Empreendedor desenvolvido em parceria pelo Ministério da Educação, Ministério da Agricultura e o Sebrae. O prêmio tem o objetivo de estimular e despertar o espírito empreendedor dos/as estudantes de cursos técnicos e tecnológicos. Premia os projetos que reúnem as melhores idéias de negócios e que possam contribuir para o desenvolvimento socioeconômico de suas comunidades. Se você é um/a estudante empreendedor, monte sua equipe, escolha seu professor-orientador e participe. Além do reconhecimento, você e seus colegas concorrem a prêmios de até R$ 10.000,00.

Categorias e Temas de Premiação:


Categorias: Técnico e Tecnólogo

Temas:
Livre: Projetos com ações voltadas para o desenvolvimento sócio econômico local.

• Inclusão Social: Projetos voltados para pessoas, grupos ou comunidades específicas, arranjos produtivos locais ou minorias, objetivando sua inserção social, profissional ou econômica, gerando trabalho ou renda.

• Cooperativismo: Projetos inovadores que proporcionem sua viabilização por meio de cooperativas, ou que atendam suas reais necessidades, e que visem a organização, a gestão, a expansão e o fortalecimento de cooperativas já existentes e do cooperativismo geral.

No Prêmio Técnico Empreendedor todos ganham: quem participa e quem apóia.

Etapas de Premiação:

• Etapa Regional:
Serão premiados os 3 melhores projetos de cada tema por categoria, por região,
que receberão:
- R$ 2.000,00;
- Certificado de reconhecimento pela classificação;
Obs: o prêmio deverá ser rateado igualmente pelos membros da equipe e professor orientador.

• Etapa Nacional:
Serão premiados os 3 projetos de cada tema por categoria que obtiverem as melhores
pontuações.

Para mais informações acesse:

http://www.mec.gov.br

http://www.agricultura.gov.br

http://www.sebrae.com.br

Catálogos de cursos recebem sugestões até 30 de setembro

Está aberto o período de apresentação de sugestões ou alterações nos catálogos de cursos de Educação Profissional e tecnológica do Ministério da Educação. Tanto o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia como o Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos passam por revisões anuais, em agosto e setembro, como determina a legislação. O prazo para o envio das propostas vai até 30 de setembro.

Participam da atualização, nesse período, educadores, estudantes, sistemas e redes de ensino, entidades representativas de classes, órgãos e entes públicos, além das instituições que oferecem os cursos. Os catálogos, além de disciplinar, organizar e atualizar os cursos, também são usados como guias por estudantes, instituições de ensino e entidades de classe.

Os interessados em oferecer sugestões de inclusão, exclusão ou alteração devem acessar a página da consulta pública: http://catalogosept.mec.gov.br/inicial/tela-inicial

Fonte: Assessoria de Imprensa da Setec /MEC